Início > INFORMAÇÂO > Veja o passo a passo para montar sua operadora de CABO. – 10/06/2012

Veja o passo a passo para montar sua operadora de CABO. – 10/06/2012

Melhores Práticas – Digitalização de SeAC (atualizado)

Por: bruno.lr.ferreira – Data: 05/05/2012, 15:33
Cidade: São José dos Campos – SP
País: br.gif
* Atualizado em 09/05/2012, às 09h43.

Melhores Práticas:
Digitalização de Serviços de Acesso Condicionado (SeAC)

APRESENTAÇÃO:

O presente artigo tem como objetivo oferecer um guia para os provedores de Internet que queiram aproveitar os benefícios da LEI “12485 de 12 de Setembro de 2011 –
Comunicação Audiovisual de Acesso Condicionado, e com isso passar a oferecer serviços de TV por assinatura.

Os passos a seguir servem de apoio a tomada de decisão, e não é uma norma a ser seguida, mas apenas um exemplo dentro das múltiplas opções de se montar um Line Up de canais. Um passo importante é conhecer os canais obrigatórios dispostos no capitulo V da Lei, onde podemos ler:

“CAPÍTULO V – DO CONTEÚDO BRASILEIRO

§ 2o A empacotadora estará obrigada a cumprir o disposto no caput até o limite de 12 (doze) canais brasileiros de espaço qualificado.
Art. 32. A prestadora do serviço de acesso condicionado, em sua área de prestação, independentemente de tecnologia de distribuição empregada, deverá tornar disponíveis, sem quaisquer ônus ou custos adicionais para seus assinantes, em todos os pacotes ofertados, canais de programação de distribuição obrigatória.”

“São eles: TV Câmara, TV Senado, TV Justiça, um canal para “prestação de serviços de radiodifusão pública pelo Poder Executivo”, um canal oficial do Poder Executivo, dois canais organizados pelo Governo Federal (educativo-cultural e cidadania), um canal comunitário, um canal pro legislativo municipal/estadual e um ou mais canais universitários.”

Dito isso, passamos ao conhecimento dos programadores de conteúdo e o formato de disponibilização do mesmo por seus receptores.

PASSO 1: Conhecendo os Programadores de Conteúdo e seus Receptores:

Os programadores de conteúdo são empresas que detêm os direitos de licenciamento para conteúdos já finalizados e disponíveis para multiplataformas.
Cada programadora adota modelos de negócio personalizado quando se trata do formato de distribuição do conteúdo.

Abaixo listaremos de forma resumida algumas programadoras e seus respectivos formatos de distribuição do sinal e equipamentos utilizados:

DISCOVERY NETWORKS:

Essa programadora possui dois transponders de satélite os quais estão subdivididos em conteúdos de alta definição (HD) e conteúdos standard (SD).
Ela possibilita para o operador existem duas formas de recepção desses sinais, podendo a Operadora optar por receber os canais individualmente ou todos os serviços em um único equipamento.

Os canais disponibilizados são: Animal Planet, Discovery Channel (HD e SD), Discovery Civilization, Home & Health, Discovery Kids, Discovery Science, Discovery Turbo, Liv, Travel & Living Channel (HD e SD).

DISNEY & ESPN Brasil:

Essa programadora tem seus sinais distribuídos em 5 transponders diferentes, onde estão separados os sinais HD dos sinais SD.
É disponibilizado à Operadora dois modelos de receptores para a recepção dos canais disponíveis.

Os canais disponibilizados são: Disney Channel (SD e HD), Disney Jr, Disney😄, ESPN Internacional; ESPN Brasil e ESPN HD.

FOX Latin América:

A FOX disponibiliza seus canais através de 05 transponders onde os serviços estão separados em canais standand ou alta definição.

Os canais disponibilizados são: Baby TV, Bem Simples, FOX (HD e SD), FOX Life, FOX News, FX, National Geografic Channel (HD e SD), Nat Geo Wild (HD), Fox Sports, Studio Universal, SyFy.

GLOBOSAT:

A GLOBOSAT utiliza quatro transponders para a transmissão de seus principais serviços. No primeiro transponder podemos encontrar os seguintes canais: VIVA, SPORTV 3, e seu novo canal GLOOB;

No segundo transponder temos: PFC (01 ao 04), PREMIERE COMBATE, GLOBO NEWS, SPORTV, SPORTV 2 e MULTISHOW;

No terceiro transponder estão: CANAL BRASIL, GNT, TELECINE CULT e UNIVERSAL CHANNEL;

O ultimo transponder estão os canais da Rede Telecine: REDE TELECINE (PREMIUM, ACTION, TOUCH, FUN e PIPOCA) e MEGAPIX

Os serviços da Rede Telecine, todos são transmitidos em alta definição, e para possibilitar a retransmissão em Standard, é utilizado um receptor diferenciado que provê o sinal em alta definição e standard na mesma saída. É aconselhado o uso em pares de canais, aproveitando um receptor para cada quatro serviços.

Exemplo:
Receptor 1 – Telecine Premium (HD+SD) e Telecine Action (HD+SD)

HBO:

Os canais distribuídos pela HBO podem ser encontrados em dois transponders estando separados em canais do pacote Premium e pacote Básico.
Os canais disponibilizados para o pacote básico são: A&E, AXN, BIOGRAPHY CHANNEL, CINEMAX, E!, HISTORY CHANNEL, SONY, SONY SPIN e WARNER CHANNEL.

Os canais disponibilizados pelo pacote Premium são: HBO, HBO 2, HBO PLUS, HBO FAMILY, HBO SIGNATURE, MAX, MAX HD e MAX PRIME.

TURNER:

Os canais distribuídos pela TURNER podem ser encontrados em três transponders estando separados da seguinte forma:
No primeiro transponder podemos encontrar os seguintes canais: TNT, GLITZ, CARTOON e BOOMERANG;

No segundo transponder podemos encontrar os seguintes canais: CNN Internacional e CNN Espanhol;

E no terceiro transponder podemos encontrar os seguintes canais: SPACE e TCM.

VIACOM:

Os canais distribuídos pela VIACOM podem ser encontrados no mesmo transponder estando disponíveis os seguintes canais: NICKELODEON, NICK JR, COMEDY CENTRAL, VH1 e VH1 MEGAHITS.

Passo 2: Exemplo de um diagrama de Operação

Agora que temos conhecimento sobre as programadoras de conteúdo, vamos partir para um desenvolvimento de um plano de canais que serão utilizados na operação.
O plano exemplificado contém parte de um diagrama de 58 canais onde fazem parte deste os principais canais distribuídos pelas programadoras apresentadas, alguns canais locais e os canais obrigatórios segundo a lei 12485/11.

 A figura 1 apresenta os serviços que fazem parte dos canais obrigatórios, os quais já foram citados no passo anterior: Os canais TV Justiça, TV Câmara, TV Senado, NBR, TV Brasil e TV Assembléia, podem ser recebidos através do receptor TECSYS – TS 7200, que possui uma interface de saída digital em ASI.

Na mesma, podemos perceber que o multiencoder TS 9090-M recebe quatro sinais de áudio e vídeo, e os encoda e multiplexa internamente, disponibilizando os quatros canais através de uma única saída.

Todos estes serviços são reunidos pelo TS 9600-8 MUX fabricado pela TECSYS. Ao final todos os serviços estão sendo enviados para uma porta especifica da plataforma de processamento, que será tratada mais a frente.

A figura 2 apresenta os serviços que fazem parte da Globosat e alguns canais locais: Os canais GLOOB, VIVA, SPORTV, SPORTV 2, SPORTV 3 e GLOBO NEWS podem ser recebidos através de um receptor que possui uma interface de saída digital em ASI.

Neste exemplo está sendo usado um receptor para cada canal. Na mesma, podemos perceber que o multiencoder TS 9090-M recebe quatro sinais de áudio e vídeo, e os encoda e multiplexa internamente, disponibilizando os quatros canais através de uma única saída digital ASI.

Todos estes serviços são reunidos pelo TS 9600-8 MUX fabricado pela TECSYS. Ao final todos os serviços estão sendo enviados para uma porta especifica da plataforma de processamento, que será tratada mais a frente.

Figura 3 – 3º Bloco de canais composto por canais das Programadoras HBO, GLOBOSAT e ESPN

A figura 3 apresenta os serviços que fazem da Globosat, do pacote básico da HBO e os canais da ESPN:
Os canais GNT, MULTISHOW, ESPN e ESPN BRASIL podem ser recebidos através do receptor que possui uma interface de saída digital em ASI. Neste exemplo está sendo usado um receptor para cada canal.

Os canais WARNER, A&E, AXN e E! podem ser recebidos através de um receptor que possui uma interface de saída digital em ASI.
Neste exemplo, está sendo usado um para cada canal conforme sugestão da programadora.

Assim como os blocos anteriores, todos estes serviços são reunidos pelo TS 9600-8 MUX fabricado pela TECSYS. Ao final todos os serviços estão sendo enviados para uma porta especifica da plataforma de processamento, que será tratada mais a frente.

 A figura 4 apresenta os serviços que fazem parte da Discovery Networks e do pacote básico da FOX Latin América: Os canais TLC, LIV, ANIMAL PLANET e os DISCOVERY CHANNEL, CIVILIZATION, HOME & HEALTH, KIDS, SCIENCE e TURBO podem ser recebidos através de um receptor que possui uma interface de saída digital em ASI.

Neste exemplo está sendo usado um receptor para receber todos os canais. Os canais SYFY, NAT GEO e STUDIO UNIVERSAL podem ser recebidos através de um receptor que possui uma interface de saída digital em ASI.

Neste exemplo está sendo usado um para cada canal conforme sugestão da programadora. Neste bloco, todos estes serviços são reunidos pelo TS 9600-4 MUX fabricado pela TECSYS. Ao final todos os serviços estão sendo enviados para uma porta especifica da plataforma de processamento, que será apresentada a seguir.

Passo 3: Head End de Multiplataforma: TMP (Tecsys Media Platform)

Após a recepção de todos os serviços, agora apresentaremos como será feito seu processamento final através do TMP 900 (Tecsys Media Platfform).
A figura 5 apresenta o TMP900 Tecsys Media Platform é a próxima geração de processamento de headend inteligente, equipamento que pode ser transformados em qualquer tipo de headend digital ou realizar todos os tipos de funções de headend existentes.

Com uma alta capacidade de processamento em seu núcleo, este equipamento de 1RU vem com 6 slots para módulos independentes.

 Com diferentes módulos, que possibilitam recepção de canais livres do satélite diretamente pelo equipamento, ou placas multiplex auto ajustáveis de entra ou saída digital ASI. Simplifica substancialmente a implantação de novo sistema de DTV / IPTV para operadoras de cabo, headend em operação, ou provedores de internet que têm interesse em agregar valor a sua operação com serviços de IPTV.

TMP900 vem em um chassi compacto 1RU com 2 fontes de alimentação hot-swappable e redundantes. A figura 6 apresenta uma perspectiva do painel traseiro alguns modelos de placas que são exemplificados neste artigo.

Este TMP 900 é composto por duas placas com interface digital em ASI, uma placa com interface digital em TS/IP, uma placa scrambler e duas placas de modulação digital em QAM.
A placa ASI pode receber quatro fluxos digitais de fontes diferentes, neste exemplo estas placas estão recebendo a saída dos multiplexadores TS 9600-8 e TS 9600-4 mencionado no passo anterior.

A placa TS/IP tem a função de receber o sinal digital em interface IP de um ou mais receptores com essa interface digital disponível. A placa Scrambler é responsável por embaralhar o sinal, esta placa está associada a um Sistema de Acesso Condicional, componente que não abordamos neste artigo, mas é responsável na parte de gerenciamento dos canais disponibilizados para o assinante, funções como autorizações, montagem de pacotes e geração de informações sobre EPG e outros detalhes sobre os canais.

A placa QAM é a responsável por levar essas informações dentro de uma freqüência modulada digitalmente em QAM. A placa possui 8 portadoras adjacentes.
Todas as placas do TMP 900 podem ser configuradas por meio de um software, onde além de promover a configuração das placas, apresenta status de suas configurações, informações sobre licenças disponíveis no equipamento e outras funções.

A figura 7 apresenta a tela de configuração dos serviços.

Diferente do headend modular tradicional cujo chassis só fornece energia, refrigeração e habitação para módulos sem conexão de dados, o TMP900 centraliza a função de processamento e melhora substancialmente a eficiência do equipamento da confiabilidade, semelhante a uma estrutura de um servidor.

Esta unidade pode ser configurada para lidar com seis módulos, sendo cada módulo pode ser configurado individualmente com base nas necessidades especificas de cada cliente, incluindo a recepção, decodificação, codificação, multiplexação por ASI para conversão IP, ou IP para ASI.

Todos os seis módulos podem ser hot-swap e hot-insertion para apoiar o crescimento e as necessidades dos operadores de rede.

Conclusão:

Concluí-se ao final deste artigo que a formação dos canais que serão parte da grade do Operador de SeAC deve-se muito mais ao tipo de tecnologia e quais serão disponibilizados através das Programadoras contratadas.

Os equipamentos que são utilizados para o processamento, dependem do tipo de receptor utilizado. Receptores com interfaces de saídas analógicas são conectados a um Encoder que faz o papel de digitalizar o sinal para um formato em ASI. Receptores com interfaces digitais em ASI ou TS/IP podem ser atribuídos diretamente ao equipamento de processamento final, neste artigo citado o TMP 900.

A partir dessas informações, é possível o entendimento básico do funcionamento deste novo formato de distribuição e os tipos de equipamentos necessários para tal.

Categorias:INFORMAÇÂO
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: